MAIA, TEMER, PIMENTEL E FILHO DO LULA SÃO CITADOS EM DELAÇÃO PREMIADA

Henrique Constantino diz que repassou dinheiro de caixa 2 para a campanha do ex-governador de Minas e propina para o presidente da Câmara

0
27
Dono da Gol delata Pimentel, Maia, Temer e filho de Lula
A delação premiada de um dos donos da companhia aérea Gol, Henrique Constantino, já homologada pela Justiça, atinge o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), o ex-presidente Michel Temer (MDB) e o filho do ex-presidente Lula, Luís Cláudio da Silva.

A delação foi homologada pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, e cita ainda os ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Alves, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. Todos eles são do MDB.

Embora a delação esteja oficialmente em sigilo, o portal “O Antagonista” teve acesso a alguns trechos. Num deles, Constantino aponta ter feito doações não contabilizadas para a campanha do ex-governador de Minas Fernando Pimentel em 2014. 

Em outro ponto, o anexo 7, o alvo é Rodrigo Maia. Segundo Constantino, o deputado teria recebido propina por meio da Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear). O dinheiro, chamado de “benefício financeiro”, teria relação com a aprovação da abertura do capital das companhias aéreas a estrangeiros. Nesse ponto estão citados também, entre outros, o ex-senador Romero Jucá (MDB), os deputados Vicente Cândido (PT), Marco Maia (PT), Otávio Leite (PSDB) e Bruno Araujo (PSDB), além do senador Ciro Nogueira (PP).

No que diz respeito ao filho de Lula, Henrique Constantino confirmou ter pago propina a Luís Cláudio por meio de um patrocínio a uma liga de futebol americano. A transação teria sido intermediada por Vicente Cândido.

Em relação a Temer, Cunha e Geddel, o delator afirma ter repassado ao operador Lúcio Funaro R$ 7,07 milhões que seriam distribuídos aos emedebistas.

A delação premiada de Henrique Constantino foi assinada no dia 25 de fevereiro com a força-tarefa da operação Greenfield.

Defesas

Procurada, a defesa de Temer afirmou que não poderia comentar, porque desconhece a delação e não teve acesso ao teor dela. A defesa de Cunha afirmou que ele nega as acusações. Em nota, a defesa de Henrique Alves, também citado, disse que as afirmações não são verdadeiras. Os advogados de Geddel não responderam. A defesa de Fernando Pimentel foi procurada mas ainda não se manifestou. Os demais citados ainda não foram localizados para comentar a delação.

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.